domingo, 14 de fevereiro de 2016

Espelho meu



  A televisão estava ligada e o noticiário corria com as notícias habituais. Quebrando a rotina das desgraças diárias, o jornalista referiu-se a um anúncio recente com modelos femininos na casa dos cinquenta anos. Aí, pressentindo um tom dissonante, ela levantou os olhos. Pensou «Tchiii, 50!!!» Parou. «Espera aí! 50!?  Não estou assim tão longe!». Mais tarde, quando assistiu à reportagem, observou aquelas mulheres cheias de confiança nas suas cinco décadas. Reviu-se em alguns dos seus traços, naqueles que acusam a passagem do tempo. «A dificuldade que uma pessoa tem em perceber que o tempo passa para todos!Aliás, que passa também por mim!»,  pensou. . «E andamos nós sempre a falar sobre o tempo!  Do tempo cronológico, não do tempo atmosférico, embora desse também se fale....»

   Lembrou-se de uma fotografia recente e do que tinha pensado: «Estou assim?» Não se reconhecera naquela mulher de rosto mais largo, pálpebras mais descaídas, cabelo mais quebradiço... A imagem que tinha de si era diferente. Nessa imagem, guardada como uma fotografia, o tempo parara e ainda era jovem. Os anos tinham passado, mas por dentro persistia de si uma figura diferente. A imagem da fotografia dissera-lhe que envelhecera. Chegou-se junto do seu espelho e quis confirmar. «Nã... fiquei mal na fotografia.» Algumas poses depois, verificou que a fotografia revelara algumas facetas que não queria admitir ter. Nada a fazer! O tempo também passava por ela. E deixara marcas! «Pensavas que era só para as outras, não?!». Concluiu que a imagem diária que via no espelho não refletia a imagem real, mas sim aquela que criara algures no tempo, no auge da sua juventude e beleza. A fotografia traíra-a, a si e ao espelho que quotidianamente a acompanhava há anos a fio.

 O companheiro, estranhando tanta demora e observação frente ao espelho, mas adivinhando-lhe as deambulações, sussurou-lhe, puxando meigamente pela sua mão.

 - Vem comigo.

 Chegaram à sala e ele pegou no ipad. Procurou um vídeo que vira há uns anos. Sabia que aquele dia chegaria e aquele era o momento ideal para lho mostrar. Sentaram-se no sofá de sempre. Rodeou-a com um abraço terno  e o vídeo começou.





   Ela sorriu e retribuiu o abraço. Não foram precisas palavras. De seguida - e porque ele gostava de a pôr a rir - mostrou-lhe outro vídeo.



   E, cúmplices, demoraram-se a rir no sofá de sempre.

  
 Imagem daqui.

Nota: a tradução do primeiro vídeo deixa bastante a desejar, no segundo não há, mas os diálogos são semelhantes e as imagens valem por si. :)

6 comentários:

  1. :) o primeiro vídeo conhecia. Sabes eu acho que só se tem a sensação que se envelheceu quando vemos os outros. Há certos aspectos que não são assim tão simples de aceitar, pelo menos para mim. Mas ser vista por olhos que nos amam é algo totalmente diferente. pois a aceitação é melhor, digo eu.

    Beijinho e bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que não são fáceis de aceitar. E os espelhos também não mentem. Este aqui deveria ter a mesma origem do espelho da madrasta da Branca de Neve :).

      Obrigada, beijinho e bom domingo, Vizinha.

      Eliminar
  2. Eu confesso que me esqueço da idade que tenho. Acho que parei no tempo, o que nem sempre é mau. Pratico bastante desporto e tenho alguns cuidados comigo, mas, de um modo geral, aceito - uns dias melhor, ouros pior (não acordo sempre com a mesma cara), as mudanças que o tempo vai esculpindo em mim. Mas é verdade que, nós mulheres, somos sempre muito críticas connosco próprias. E não devia de ser assim, até porque o nosso rosto conta um pouco da nossa história. Devíamos orgulhar-nos disso.

    Um beijinho, querida Princesa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. E darmo-nos por felizes por termos chegado aqui. Já houve tantos que conheci que não chegaram a ter estes «problemas». Demasiados.


      Outro beijinho, Miss Smile.

      Eliminar
  3. Eu nunca me lembro dos anos que tenho, desde que não tenha dores de costas LOL

    Gosto muito desses vídeos

    Blog LopesCa/Facebook 

    ResponderEliminar