sábado, 9 de abril de 2016

ali mesmo, junto das portas do céu



«Cantique de Jean Racine» de Gabriel Fauré (op.11)

 Orquestra e coro de Paris dirigidos pelo maestro Paavo Jarvi.

4 comentários:

  1. Lindo! Não há palavras que consigam competir com as significações múltiplas da música.

    Um beijinho, Princesa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pudesse eu escrever música em vez de palavras... :)

      Um beijo de volta, Miss Smile

      Eliminar
  2. Tenho o Requiem, que também é lindo. É um compositor com incrível modernidade.
    Boa escolha, Princesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que descobri, tinha 19 anos quando escreveu esta peça. Incrível. Também já ouvi o Requiem, mas ainda não com a devida atenção. Fá-lo-ei um destes dias.
      Obrigada pela visita.

      Eliminar