sexta-feira, 1 de junho de 2018

amar pelos dois...

...é coisa que senti na pele que não pode, não deve acontecer. Amar pelos dois. E por vezes pelos três, pelos quatro... por uma família inteira.

Um dia, a linha fina e ténue que sustenta a relação quebra-se e percebe-se que tudo esteve sempre e apenas de um lado. Não correspondia à realidade. Apenas na nossa cabeça e graças ao desejo (fortíssimo) de que assim fosse, de sermos amados por quem nos está próximo. Enganamo-nos e projetamos no outro aquilo que queremos ver, ter, viver. Há tanto na vida que pode ser engano, pelo simples desejo de querermos ser como os outros, de sermos amados e de querermos acreditar que nada nos distancia do mundo inteiro, que nada nos diferencia dos outros.

E depois, depois de muito sofrimento, de muita deambulação, de muito luta, acabamos por aceitar a realidade e depois, muito depois,  perguntamos: afinal o que é isso de ser normal e quantos mais percorrem ou percorreram os mesmos trilhos?